4 de dezembro de 2006

O cão que me quer adoptar





Tem aparecido à janela da cozinha e do escritório desde sexta. Mesmo o gato assanhado não o afasta. Tem olhos meigos. Abri a janela e pôs-se nas patas de trás, como quem precisa de receber um biscoito. Não lho posso dar. A fidelidade canina, que coisa incompreensível para mim!, mesmo quando não se espera nada.

2 comentários:

Mancholas disse...

E então, sempre vai ser adoptado? Isso é que era um bom presente de natal. Pobre animal, a viver na rua.

Filomena disse...

A história teve um final feliz: Karpov reencontrou o seu dono.