28 de junho de 2007

Acerca de uma diposição medonha

Como é fazemos entender aqueles que importam realmente que a nossa disposição medonha não é com eles exactamente, mas que eles, por serem tão importantes e tão íntimos, têm o direito de nos ver do avesso? A observarem as nossas entranhas fétidas que escondemos dos outros, dos não íntimos, da gente alheia que está ao nosso lado dia-a-dia?

1 comentário:

eduardo waghorn disse...

Interesante tu espacio, hallado de casualidad..como suele ocurrir:)
Nos une la lingüística.
Un gran abrazo desde Chile!