7 de novembro de 2007

Aquecimento Global ou Verão de S. Martinho?

Em Novembro, quando já costumava ter o aquecedor ligado, usar golas altas, cachecóis, edredons e mantas, meias de lã, luvas, mais camisolas, casacos, kispos, sobretudos, eis-me de tshirt de fino algodão. Lá fora um calor que não lembra a ninguém. No Lidl e outros supermercados acumulam-se Pais Natais de chocolate, que ninguém compra. Os vendedores de castanhas espalham uma névoa quente no bafo quente do dia, espantando os clientes. As iluminações de Natal e os bolos reis são encaradas com desconfiança e irritação.
Se o tempo não mudar rapidamente, corremos o risco de não ter Natal este ano: tal e qual como nas zonas do globo que são quentes nesta altura e que, como toda a gente sabe, não celebram o Natal porque não são suficientemente frias.

1 comentário:

AJR disse...

Amiga, será que descobriste a primeira (e única) consequência positiva do aquecimento global? (pergunta retórica) Parece-me que sim. Sem Natal, acaba-se o consumismo, os passos perdidos nos centros comerciais, as refeições intermináveis, os especiais de Natal da SIC, o aprovisionamento de cachecóis (que não poderemos usar a sul de Copenhaga) e as saídas furtivas para fumar um cigarro no quintal... Só vantagens!